31 de outubro de 2008

O precipício da intimidade: a vida imita a arte


A intimidade é a coisa mais complexa que pode existir entre duas pessoas, independentemente de ter interesse ou laço afetivo, sexual ou meramente casual entre elas. É a aquela sensação desconfortável de tentar preencher o espaço do silêncio o tempo todo, a necessidade de parecer legal/inteligente ou, então, tentar desenrolar um papo a todo custo quando não há fluxo.

O diálogo mais divertido que lembro está no filme 'A hora da estrela', baseado no livro de Clarice Lispector. Através do encontro não tão romântico dos personsagens Macabéa e Olímpio, interpretados pelos paraibanos Marcélia Cartaxo e José Dumont, isso fica evidente em um dos passeios do casal. Sem ter assunto ou mais o que dizer, Macabéa lê uma placa na virtine de uma loja e dispara: 'eu gosto tanto de prego e parafuso'. hahahahhahahahahahahahhahahahahahaha

Até que uns preguinhos e uns parafusosinhos não fazem mal a ninguém, desde que não seja prova de metalografia, resistência dos materiais ou desenho mecânico como nos meus tempos de Mecânica na Escola Técnica. Ufaaaa

Lembro dessas aberrações dialógicas sempre e sempre. Há um tempo me deparei com um diálogo desses quando após uma ficada ouvi inesperadamente a inconveniente 'afirmativa': 'eu já sofri acidente de avião, sabia?' Como se isso fosse mérito ou sei lá o que... fiquei tão atordoado que respondei: 'ah, que legal'. Não acredito que eu respondi isso, mas respondi.

Em conversa com amigos descobri que isso é mais comum do que eu imaginava... 'Vai começar a novela!', 'Vc tem horas ai?', 'Vc gozou?' hahahhahahahahahha O que passa na cabeça desse povo nessas horas de silêncio? Na minha é o desespero da próxima pérola que virá e como eu vou me sair... Sempre saio atônito com esses 'Que legal!". E o 'Que legal!' é mero sinônimo de 'Que merda da porra vc acabou de falar!'... hhhhhahahahah Mas afinal, porque eu deveria embalar nesses papos né?

Por que engatar em um papo quando o silêncio já o é? Basta perceber o que dizem as ondas dos ventos, a respiração e o silêncio. Tá tudo ali... 'Mas vc não morreu nesse acidente?'... hahhahahaha Ainda bem que fiz como Olímpio...pus a fila pra andar, já que não sou da TAM nem faço pacotes de turismo. kkkkkkkkkk

amanheci perverso! kkkkkkkkkkkkkkkkk

5 comentários:

Marly disse...

Muito bom texto Wagner. Na verdade, uma crônica perfeita e com doses certas de humor. Adorei!
Beijos

Wagner Hardman Lima disse...

Esse texto surgiu mesmo desses papos como os que tivemos ontem Marly... e também de uma longa conversa com um amigão que ouviu 'A novela vai começar' kkkkkkkkkkkk

bjao

Norma disse...

Com certeza o silêncio fala, e muito, Wagner.
Também concordo com a Marly.
Abraços

Belle disse...

Lindo..simples e fiel...
Adoro a forma que você consegue transformar coisas do dia-a-dia em beleza...

Fábio disse...

Eu passei por isso ontem essa coisa de preencher o silencio com vc disse. É ruim essa momentanea pequena agonia.
Mas eu não falei nenhuma besteria e nem ouvi nenhuma... me saí bem rss