12 de dezembro de 2006

Abrindo os horizontes no meio do nada

Os feriadões sempre são frustrantes pra mim. Minha festa mesma é no dia-a-dia. Da cidade todos fogem, as ruas ficam desertas e todos ficam meio em estágio de euforia com som em volume alto e expondo corpos sarados ou excessos de peso em pouca roupa. argggggggggggghhhhhhhhhhhh e olha que os brancos censuravam os coitados dos índios.
Para quê tanta festa se é possível fazer festas diárias dentro e fora de mim? Pois, pois... descobri uns versos muito afetivos nestes dias de pensamentos da fantástica Alice Ruiz. Me pus à preguiça de não procurar o nome. Basta-me a essência das linhas e entrelinhas.


"A gaveta da alegria
já está cheia
de ficar vazia". Alice Ruiz

3 comentários:

Vania disse...

É lamentável que nem todas as pessoas tenham a capacidade de realizar suas festas diárias.Sei q os compromissos, as burocracias, a rotina, o trabalho... faz com que não percebamos q precisamos de muito pouco para sermos felizes, de muito pouco para dar e receber mtas festas.
O nosso dia-a-dia está cheio de coisas bacanas q têm tudo pra nos deixar felizes e de alma leve: pessoas(até mesmo as virtuais,kkkk), paisagens, poesias, mar, lua, musica... Pena q complicamos a vida e buscamos tudo mto longe.
É uma pena tbm q nem todas as pessoas têm a sorte e alegria de conhecer na net (via orkut), pessoas especiais como vc. E olha q nem nos conhecemos pessoalmente,ainda(espero nao mudar de opiniao qdo isso acontecer,kkkkk).Te acho sensível, de gosto apurado, inteligente,bem humaorado, poeta, escreve q é uma maravilha, viajo c seus textos, enfim... um artista.(sobre os defeitos só qdo nos conhecermos, deve ter tbm um monte,kkkkkkkk).
Luz!

norma meireles disse...

Pois é, Wagner, nossa grande dificuldade de enchergar o que estamos "cegos de tanto ver" no dia-a-dia, no cotidiano. E os feriados estão vazios; não apenas deixam as ruas das cidades vazias, mas seus significados acabaram virando cifras.

Wagner Lima disse...

É Vânia tenho todos os defeitos que um mortal possa ter. vez ou outra meus amigos "surtam" de sinceridades e me jogam na fogueira. kkkk mas até isso tá valendo. Não se chega do outro lado do rio sem nada ou atravessando a ponte. bjs